Monday, 30 March 2009

De Dominee

No sábado à noite, vimos outro filme neerlandês, também um DVD emprestado pelos vizinhos :). Chama-se De Dominee. Trata-se da adaptação de um livro sobre a vida de Klaas Bruinsma, neerlandês que, nos anos 80, chegou a ser o maior traficante de droga da Europa e que foi assassinado em 1991, com 37 anos.

From Coisas Minhas


Eu não li o livro no qual se baseia o filme, por isso não posso comentar a adaptação.
Contudo, posso dizer o que gostaria que também tivesse sido abordado e não foi.
Houve duas coisas que não percebi no filme: como surgiu o interesse dele pelo tráfico e em que circunstâncias; outra, quem é que o mata e em que circunstâncias (embora o filme comece com o seu assassinato). Por isso, fui consultar a wikipedia para saber.
Afinal, o menino já traficava desde a adolescência, é preso e expulso da Escola Secundária, ou seja, o interesse dele não surge na idade adulta.
Por outro lado, acho que o filme se centrou muito na relação dele com o guarda-costas e com a mulher quando podia ter explorado também e melhor a sua relação com outras figuras da organização.
Gostei do filme, mas não me encheu as medidas.



...

Mabel Wisse Smith, a mulher do Príncipe Friso, terá sido amiga de Klaas Bruinsma.
O Príncipe Friso, a mulher e as Filhas já não fazem parte da Casa Real, embora façam parte da Família Real.
A relação de Mabel Wisse Smith com Klaas Bruinsma não ficou muito clara para o governo neerlandês, e como tal, este não solicitou autorização ao Parlamento para o casamento.
De acordo com a Constituição Neerlandesa, para continuar na Linha de Sucessão ao Trono, os casamentos dos príncipes devem ser aprovados pelo Parlamento, uma vez que são Casamentos de Estado e qualquer dos irmãos poderá ascender à Chefia de Estado (respeitando, como é óbvio, o princípio da primogenitura).
Nesse caso, para salvaguardar o interesse da Nação, é necessário que o orgão que legitimamente a representa,o Parlamento, dê a sua aprovação, de forma, a, por um lado, salvaguardar a idoneidade de quem pode vir a representar a Nação, e por outro, manifestar a sua confiança nessa eventual Chefia de Estado.
Na prática, os Príncipes podem casar com quem quiserem (e foi o caso).
Continuar a poder aceder à Chefia de Estado, já depende da aprovação do Parlamento como representante da Nação.
Ou seja, ao contrário do que muitos pensam, na Monarquia, o acesso à Chefia de Estado, não se faz de forma automática, só porque se é filho(a) do Rei ou Rainha. A Monarquia está sujeita à Lei Fundamental, a Constituição, e à Nação, através do Parlamento. Assim, em caso de dúvida, a Nação está mais protegida.

2 comments:

sonia said...

perdeste o afair mabel wisse smith... uma serie de mentiras. primeiro tentou omitir que tinha sido namorada de klaas bruisma, so quando Peter R. de Vries fez um programa sobre ela com o lendario Silva (um guarda costas sul maericano do klaas) o escandalo rebentou... ela tentou tudo por tudo para casar com o pricipe e a cretina ate modificou a pagina da wikipedia em favor dela omitindo este pequeno episodio da sua vida. nao e muito querida pelo povo holandes como deves calcular.

aqui um link para uma serie sobre o affair, em holandes mas a valer a pena para perceberes melhor como funciona a monarquia neste pais. nao e assim tao cor de rosa!

http://www.uitzendinggemist.nl/index.php/serie?serID=2988&md5=a59d3a5043a7c2841fb7114db8ac3477

Presépio no Canal said...

Não perdi não :) em Portugal, houve uma publicação a esse respeito que tenho aqui em casa :)
Por isso, é que defendo as monarquias constitucionais.
Achei muito bem que o Parlamento não tivesse dado autorização para o casamento, afastando-os da Linha de Sucessão ao Trono.
Eles nunca poderão ser Chefes de Estado (no caso de acontecer alguma coisa ao Guilherme e às Filhas) e o interesse da Nação foi salvaguardado.
Lá está...se mentiu uma vez,pode mentir mais.tanto assim, que a mabel nem é Princesa de jure e de facto; o tratamento é de pura cortesia. e aho muito bem, era o que faltava.