Monday, 14 March 2016

Sonhos de uma Tarde de Primavera


Há poucos dias, vimos o último James Bond, o  Spectre.

Gostei do filme, mas não da música de abertura. 

Dos úlimos 20 anos, GoldenEye  (escrita pelo Bono e o The Edge dos U2) continua a ser a minha favorita

Curiosidade: a personagem feminina principal, Xenia Onatopp, foi interpretada pela actriz neerlandesa Famke Janssen.




Sempre que oiço esta música, é inevitável pensar num desejo antigo e que já podia ter realizado várias vezes: entrar no Hotel Palácio, no Estoril, sentar-me confortavelmente no bar a tomar um Martini, observando discretamente, mas com atenção, o ambiente à minha volta; depois, semi-cerrando as pálpebras por uns momentos, imaginar que estamos em Maio de 1941, quando Ian Fleming andava por lá ao serviço de Sua Majestade, a trabalhar na coordenação da verdadeira operação GoldenEye. E vislumbrar, lá ao fundo, no balcão, uma outra personagem da casa, o agente-duplo Dusko Popov, que terá inspirado Ian Fleming na criação de James Bond... A partir dai, ainda que por breves instantes apenas, entre mais um e outro gole de Martini, supor os movimentos, diálogos, cores, cheiros, sabores...E mais tarde, já no casino, vê-los a combinar datas de encontros pela escolha de números na mesa de jogo...
Gosto de "transportar-me" para outros tempos, imaginar-me nos ambientes e pensar que também eu estive lá e vivi uma pequena parte de toda a história... E se for de espionagem, então...

Para conhecermos melhor o espião que inspirou a personagem do agente 007...



Achei muito piada à resposta dele, quando o entrevistador lhe perguntou o que pensava da caracterização (enquanto composição da personagem) de James Bond: " Pura ficção. Não durava nem 48 horas". 

Ao minuto 10:45, chegada a Portugal (1940).

NB: Este video, sobre a vida de Dusko Popov, está em francês.

8 comments:

APS said...

Curiosamente, estive lá em Setembro ano passado, no Hotel do Estoril, como convidado no Copo de Água de um Casamento. Muito boa cozinha, serviço, péssimo... Andava por lá o Alberto, mas do Mónaco.
Boa noite!

P..: mas voto na Tina Turner!

Presépio no Canal said...

APS,

Que pena, a parte do serviço. Casas como estas, sobretudo quando encerram alguma história, devem primar por um serviço de excelência. Quando não é assim, quebra-se logo o encanto...
O Príncipe Alberto do Mónaco tem família para aqueles lados (os Polignac de Barros).
Quanto à Tina Turner, estamos em sintonia. :-) Gosto muito dela, especialmente quando canta "Private Dancer".
Boa noite!

João Menéres said...

Não é o género de filmes que me agradam, bem pelo contrário...
Há anos atrás fiquei lá e...GOSTEI !

Um beijo, querida Sandra.

Crocheteando...momentos! said...

Em relação ao hotel...tenho constatado que os mais antigos nem sempre investem na qualidade do pessoal e recantos...sendo facilmente ultrapassados por novos empresários com ideias mais inovadoras!
Quanto ao filme...não desgosto do género!
Gosto do tema musical!
Bj

Presépio no Canal said...

João,

Vou tentar passar por lá na próxima ida a Portugal. Tb quero ver a exposição de fotografias sobre as famílias reais que por lá passaram, durante a época que estiveram exiladas no Estoril e em Cascais (Galeria Real).

Um beijinho, querido João.

Presépio no Canal said...

Graça,

Se quiser dar alguma sugestão, esteja à-vontade. Ultimamente, temos ficado em apartamentos alugados, mas continuo a gostar de espreitar novos lugares, nem que seja para ir lá tomar uma bica... :-)
Bj amigo

MR said...

Gosto da canção do Sam Smith.
Mas para votar, vou mais atrás à Shirley Bassey: Goldfinger!!!...

Presépio no Canal said...

MR,

:-))

Bom dia! :-)