Monday, 1 August 2016

Do fim-de-semana


Sábado

Acordar às duas da manhã, com o barulho da casa ao lado. Espreitar pela janela para tentar perceber o que se passa. E descobrir: são os vizinhos que regressam das férias. Sono interrompido e que custa a retomar...

Acordar tarde, e seguir normalmente: praça, supermercado, almoço, arrumar a cozinha, café no Intratuin e mais uma florinha, again em laranja, para o último vasinho em falta, desta vez, lilás. Café sem bolo, porque não havia o que eu queria, e cá entre nós, ainda bem. Mas antes, passar pelo centro de reciclagem, deixar (finalmente!) o velho lavatório do micro quarto-de-banho das visitas e caixas velhas de arrumação e reparar que a zona central do espaço está decorada com plantas e vasos de flores (até aqui!, pensei). Já na volta para casa, passar pelo talho em Almere Haven, muçulmano, que vende carne que gosto muito (fomos lá pelas perninhas de frango). 

Chegar. Uma pequena pausa para leitura, que incluiu o que o António Barreto escreveu aqui, e me parece uma excelente e muito lúcida análise sobre a actual (e deveras preocupante) situação da Europa.

E depois, voltar a práticas bem mais prosaicas, aproveitando que não chove e está uma temperatura agradável. Imaginem lá o quê....abrir, finalmente, com coragem e respirando bem fundo, os dossiers administrativos de todas as casas em que já vivemos desde 2004, e começar a retirar e a rasgar contratos de arrendamento, facturas mensais do gás, da água, da luz, da TV por cabo, dos seguros disto e daquilo que já não temos ( do carro anterior, por exemplo), dos extractos dos bancos onde já nem temos contas, análises clínicas, facturas do recheio da casa que também já não é o mesmo, etc, etc. Fiquei clean até 2011. E com os braços doridos. E o meu marido, depois de ajudar-me a seleccionar o que deitar fora dos dossiers dele, finalmente, lá montou o lavatório do micro quarto-de-banho das visitas - sim, porque o sol, dos últimos fins-de-semana, fez com que mandássemos tudo às urtigas. Aqui, o estado do tempo é Rei, que mais para o Absoluto que Constitucional, dita a nossa vida como quer e bem lhe apetece. ;-)

Jantar só às dez da noite porque nem se deu pelo tempo passar. Avançar com mais dossiers, aproveitando "a pica" e o embalo. Deitar-me à meia-noite.

Domingo

Acordar com os braços doridos. Tomar banho. Irmos almoçar, como combinado, com a E. e o B. também ela indonésia, também ele holandês, à pizzaria Woodstone. Perder a parada porque se ganhou na conversa (quase 3 horas à mesa, sem se dar por isso) e ser o momento mais relaxante do fim-de-semana. Mas ainda chegar a tempo, ao Teatro, para ver o espectáculo de abertura. Escolher gozar mais o momento e tirar menos fotografias. Chegar, por volta das cinco, a casa, e render-se à sesta, que o corpo implorava. Acordar 3 horas depois. E jantar só o que apetece: fatias de melancia. Escrever estas notas antes de ir dormir, num epílogo. E deixar-vos uma sugestão. Esta.

Vimos na sexta-feira à noite. A história do caso Plame.




(E não me ir deitar, sem antes receber, via WhatsApp, as fotografias das férias dos nossos amigos polacos, na Bulgária. Só vos digo, a minha amiga estava um arraso no seu vestido vermelho.)

14 comments:

bea said...

De longe em longe há que fazer uma limpeza desse tipo:). Mas são difíceis. Ou são difíceis para mim. Ainda que as faça no quarto dos filhos anualmente, vou deixando arrastar as minhas - mais as profissionais que as caseiras a que pouco ligo - sem coragem para deitar tudo fora, vou seriando e em cada vez os dossiers emagrecem; um dia desexistem:).

Já vi esse filme e também gostei. Sean Penn é um dos meus actores preferidos e Naomi Watts a actriz favorita de um dos meus filhos. Logo, o filme tinha de ter andado por aqui:)
Boa semana!

APS said...

Bom e belíssimo ritmo narrativo, ainda que prosaico, mas lá estão a contrapor as florinhas por todo o lado holandês a dar cor lírica..:-)
Deixo para depois o escorpiónico Barreto (atenção!, normalmente, dou-me bem com os nativos do Escorpião) que, desde que palestrava, assustador, magnético de olhar e rasputínico no falar, na RTP, por alturas da Desreforma Agrária (aí por 76), eu deixei de levar a sério.
Remate-se com votos de uma boa semana!

Sami said...

Um fim de semana em cheio Sandra.
Tambem me tenho que debrucar sobre a papelada velha que tenho em dossiers...eu sou um "magnet" para papel!

Margarida Elias said...

:-))) Beijinhos!

Presépio no Canal said...

Bea,

Que giro! O Sean Penn também é um dos meus favoritos e ele aqui esteve muito bem. :-) Curiosamente, há muito que não o via e agora, porque gostei muito desta interpretação, fiquei com vontade de ver mais filmes com ele e reparar essa falta.

Boa semana! :-)

Presépio no Canal said...

APS,

Obrigada pelas simpáticas palavras. :-)
Sabe o que encontrei este fim-de-semana? As minhas composições da Telescola. Andei a arrumar as fichas de trabalho em caixas-arquivos, com separadores ( gramática francesa, portuguesa, etc). Agora que passaram a estar mais à mão, a ver se as releio. Acho que vai ser engraçado.

Gosto do blogue do António Barreto. Ele costuma publicar as fotografias que vai tirando e dar-lhes o devido contexto. E tenho apreciado as análises que tem feito.

Por falar nos anos 70, encontrei nos meus arquivos, uma publicação desses tempos que achei muito curiosa e não sei como me veio parar às mãos (não me lembro). Lá mais para a frente, talvez faça um post com o que tenho vindo a encontrar.

Boa semana! :-)

Presépio no Canal said...

Margarida,

Tenho os braços doridos a retirar dossiers da arrecadação para dentro de casa. E livros, também...
Mas como não estava a chover e a temperatura estava amena,tive de aproveitar. O pior é que ainda há mais...
Beijinhos! :-))

Presépio no Canal said...

Sami,

Como a compreendo!! Me too, me too...
Eu tinha artigos de jornais (da época que não havia internet). Tive de respirar fundo e colocar no papelão. :-)))

Boa semana!

PS: Desculpe o salto no comentário. Hoje estou muito cansada.

Crocheteando...momentos! said...

Limpezas e arrumações..."arrumam" qualquer um!
Mas...depois vêm aquelas "coisinhas" que nos fazem sentir as mulheres mais sortudas do mundo!
Bj...e vou à procura dos tons verdes...azulados!

MR said...

Gosto imenso destas suas prosas do quotidiano.
Boa semana!

Presépio no Canal said...

Graça,

Muito obrigada. :-) Mas sem pressa. É Verão. :-)

E tem razão-no meio das arrumações, encontramos coisas mesmo giras, que nos trazem boas recordações e deixam felizes.

Bj amigo! :-)

Presépio no Canal said...

MR,

Muito obrigada! :-) Muito querida. Gosto do quotidiano. Há sempre qualquer coisa a acontecer, não é? :-) Acho que é preciso iluminar o quotidiano e mostrar as milhares histórias que nele se passam. Gostava de ser pássaro para vê-las de cima e contar ao mundo, em livro. Há muito herói escondido e invisível por aí. :-)

A minha avó costumava dizer que ia limpar a frente. ;-)

Nós não pagamos mais para limparem os passeios, mas para lavar o caixote do lixo orgânico e os vidros, sim (ainda assim, só se quisermos contratar esses serviços). Foi o nosso caso.

Boa semana!

MR said...

Aqui não pagamos à parte as limpezas dos passeios, caixotes, etc., mas se tudo estiver porco claro que a Câmara terá de contratar mais gente para o fazer e os contribuintes terão de pagar. Acho que os portugueses ainda não meteram bem isto na cabeça. João Soares, quando era presidente da CML, afirmou um dia que os portugueses eram muito asseados em casa e muito porcos nas ruas. É verdade, embora estejamos melhor. Principalmente com os cocós de cão. que era um inferno.
Bom dia!

Presépio no Canal said...

MR,

O civismo em Portugal nunca foi muito elevado. Há sempre um empurra responsabilidades para as autoridades públicas, esquecendo, muitas vezes, a responsabilidade individual (se todos fizermos a nossa parte custa menos e é sinal de respeito por nós e os demais).
No caso dos cocós dos cães, o mesmo se passa por aqui nos espaços relvados. Pelo que entendi, os donos dos cães pagam uma quantia por terem um cão e entendem que não devem recolher os cocós. Mas não sei muito bem como é. Anyway, pagando ou não a quantia, acho que deviam recolher, sobretudo por causa das crianças que brincam nos espaços.
Bom dia!