Wednesday, 24 August 2016

A caminho das praias do Norte da Bélgica



Ao olhar para o mapa e constatando a proximidade de Bergen op Zoom da Bélgica, sugeri ao meu marido que, em vez de irmos a uma das nossas conhecidas praias da Zelândia, como estava inicialmente conversado, fôssemos antes visitar uma praia do país vizinho. Há muito que desejava conhecer as praias da costa norte da Bélgica, especialmente duas delas, que andavam na minha mira há longo tempo: De Haan e Het Zoute. A primeira por ter sido um referência de veraneio na época da Belle Époque e pela sua arquitectura em Estilo Art Nouveau, a segunda por a praia me parecer especialmente bonita e ser a Saint-Tropez cá de cima (estava curiosa por ver a arquitectura das casas). Inicialmente, o meu plano consistia em partir no sábado de manhã e começar o passeio pelo destino mais longínquo, a bonita cidade medieval de Veurne, onde morreu uma filha do nosso primeiro rei, Dom Afonso Henriques: Teresa de Portugal, Condessa da Flandres. Tinha pensado em almoçarmos por lá, visitar o centro histórico e seguir depois para as praias, a caminho de Bergen op Zoom. Mas além de termos saído com uma hora de atraso em relação ao previsto ( o objectivo inicial era deixar o hotel às 10h30), ainda apanhámos uma fila que nunca mais acabava e muito demorada na autoestrada (continuo sem saber a razão da mesma) e acabámos em estradas secundárias, pelo meio de vilarejos, onde andámos por volta de 3 horas e tal, e ir directamente para De Haan. Valeu o pequeno-almoço ter sido muito bom e os vilarejos oferecerem mansões que eram um regalo para a vista. Não fotografei, porque íamos em andamento, em estradas estreitas, onde passavam grandes tractores, mas acho que nunca vi tanta mansão na minha vida (e os Países Baixos não têm exactamente falta de mansões nesses campos por aí fora). Veurne ficará para uma próxima e a praia de Het Zoute também. Ainda vi as brutais mansões desta última (andámos de carro a passear no meio delas) e demos uma espreitadela na praia que me pareceu mais engraçada que a De Haan, embora esta, como localidade, me tivesse atraído muito mais, entre a arquitectura do período da Belle Époque, a simpatia das pessoas que nos atenderam e o ambiente muito tranquilo, familiar e, de certa forma, mais vivido entre ruas, diria.

O nosso almoço a meio da tarde na praia De Haan: mexilhões, claro. ;-)




Mais fotografias nos próximos posts.


8 comments:

Paula Lima said...

Que belos que estes mexilhões parecem. É um dos meus pratos favoritos, não podendo faltar as ditas "frites" que os acompanham.
às vezes a mudança de planos permite-nos ir por caminhos desconhecidos e ver outras belezas, inesperadas!

Presépio no Canal said...

Olá, Paula :-)

Obrigada por seguir o blog, pela visita e simpático comentário. :-)

Gosto muito de mexilhões e como sempre que me é possível, também por motivos de saúde. A minha tiróide funciona de forma muito lenta (tenho Hipotiroidismo) e o mexilhão é como se fosse um medicamento (tenho mesmo de incluí-lo na dieta), além de ajudar a combater a fadiga que o problema em si costuma causar. ;-)

Margarida Elias said...

:-)) Beijinhos!

Presépio no Canal said...

Margarida,

:-)) Lá andei eu perdida no meio dos vilarejos...O que vale é que eu gosto do campo...:-))
Beijinhos!

MR said...

Mexilhões!... Esta semana tentei desafiar uns amigos para irmos comer uns mexilhões, mas um deles não gosta, de modo que optámos por um italiano.

Presépio no Canal said...

MR,

E como se chama esse restaurante? Aconselha? :-) Gosto muito de comida italiana.
Há um italiano em Lisboa que gosto muito. Chama-se Bellalisa, na Visconde Valmor. Fica ao lado de uma residencial e em frente a um supermercado.

MR said...

Bella Ciao, Cantina italiana, na Rua do Crucifixo. Lá para meados de setembro voltarei lá e faço um post. Aliás, parece-me que já fiz um há tempos.
Acho que já fui ao Bellalisa. Pertencia ao Bella Italia´, da Av. da República?
Boa noite!

Presépio no Canal said...

MR,

Acho que não pertenceu ao Bella Italia, mas não tenho a certeza. Os dois ficam próximos um do outro, no entanto.
Tenho de experimentar esse da Rua Crucifixo. Gosto muito de comida italiana. Obrigada pela dica, MR.
Boa noite!