Monday, 12 June 2017

Anne Frank: num percurso alternativo em Amesterdão


Se fosse viva, Anne Frank faria hoje 88 anos (nasceu a 12 de Junho de 1929).

Esta fotografia foi tirada junto ao monumento que a celebra, na praça Merwedeplein,  em Amesterdão, onde a família Frank viveu a partir de 1933/34, quando fugiu da Alemanha, até 1942, quando se escondeu no anexo da empresa de Otto Frank, o pai de Anne, em Prinsengracht (Canal dos Príncipes).





Em frente ao número 37 (número da porta da família Frank), estas placas evocativas dos 4 elementos da família (Edith, Otto, Anne e Margot) que foram levados, em Agosto de 1944, pelas forças Nazis, para o campo de concentração holandês de Westerbork




A família Frank vivia no segundo andar. Neste pequeno filme, Anne assome à janela para ver a vizinha que vivia no segundo andar do número 39 e casava nesse dia.




O prédio actualmente. A janela de Anne Frank é a mais larga do lado esquerdo, com cortinas brancas.




Ao voltar da esquina, uns metros mais adiante, a livraria onde o pai de Anne lhe comprou o diário como presente de aniversário pelos seus 13 anos, a JimminkboekUma livraria particularmente encantadora, com os muitos livros amontoados nas salas que se sucedem entrelaçadas. 
Nestas duas fotografias, livros sobre Anne Frank.







Um percurso que andava para fazer há anos. Um desejo antigo (conhecer a zona onde viveu a família Frank antes de se esconder), que se concretizou ontem, após um almoço no Nata Lisboa (decidido à última da hora), onde gostámos muito dos pastéis de nata e eu, especialmente, das empadinhas de bacalhau. O nome do bairro? Rivierenbuurt. Uma zona muito interessante, com lojas, cafés e restaurantes e, ao mesmo tempo, calminha e verdejante, fora dos circuitos habituais. Aconselho vivamente.


Votos de boa semana para todos!



9 comments:

MR said...

Muito interessante este passeio que partilhou connosco. Eu sempre que posso faço percursos deste estilo: gosto de ver, mesmo que com muitas alterações, os locais onde viveram ou frequentados por pessoas que admiro.
Boa semana!

Paula Lima said...

A única vez que estive em Amesterdão visitei a casa e arrepiei-me. Este percurso vai ser anotado!
Boa semana (mereces!)

Sami said...

Tive pena de nao ter visitado a casa de Anne Frank quando ai estive o ano passado, mas as filas eram enormes...
Mas gostei de conhecer outros detalhes da vida dela atraves deste post Sandra.
Que bom que voces ja tem o "Nata" ai, que delicia!

Margarida Elias said...

Gostei da visita virtual! Muitos beijinhos!

Presépio no Canal said...

Obrigada e muitos beijinhos a todas!

Love Adventure Happiness said...

Que bom que andaste a passear :D

Presépio no Canal said...

Vera,

Soube muito bem o passeio, embora pequeno. Mas quero lá voltar. Gostei muito da arquitectura do local.

bea said...

Quanto se perdia, se ela não tivesse escrito no diário oferecido. Disseram-me que a visita à casa onde viveram escondidos também é interessante.

Presépio no Canal said...

Bea,

Concordo consigo - o Diário de Anne Frank é um testemunho marcante daquela época. Li-o na adolescência e gostei muito, e reli-o mais tarde, várias vezes.
Visitei o Anexo no Prinsengracht uma vez, em 2007, mas vim desiludida - a casa não tinha móveis, só as imagens dos artistas e das figuras que a Anne admirava na parede. Para mim, perde-se um bocado assim. E depois, muita gente - sinto que vi à pressa, sem tempo para interiorizar. Terei de lá voltar.