Sunday, 2 March 2014

Em Bruxelas: Catedral de São Miguel e Santa Gúdula


No post anterior, partilhei convosco, que tínhamos ido passar uns dias a Bruxelas. A primeira vez que visitámos a cidade, foi na Primavera passada, embora não tenha feito menção aqui, no blogue. No entanto, só desta vez, visitámos a Catedral de São Miguel e Santa Gúdula. Quem me acompanha há mais tempo, sabe que, quando visito um monumento fora de Portugal, acho sempre interessante salientar alguma ligação /referência do mesmo ao nosso cantinho à beira-mar plantado. Gosto muito de procurar "pontes" entre o nosso país e os que visitamos.

Nesta fotografia, estávamos estendidos numa das chaise-longues em frente à Catedral. Gostei muito do conceito: dá para descansar depois de uma caminhada e apreciar a arquitectura do monumento com mais cuidado e detalhe.



A beleza dos vitrais do século XVI desta Catedral chamou, desde logo, a minha atenção e, entre todos, não poderia deixar de destacar este, que representa Dona Isabel de Portugal ( Lisboa, 24 de Outubro de 1503 - Toledo, 1 de Maio de 1539) e o Imperador Carlos V do Sacro Império Romano-Germânico ( Gante, 24 de Fevereiro de 1500 - Cáceres, 21 de Setembro de 1558).

Carlos foi declarado Rei de Espanha (Carlos I), em 1516, na Catedral de Santa Gúdula, em Bruxelas. Ele era filho de Joana, a Louca, e por conseguinte, neto e herdeiro dos Reis Católicos, Isabel de Castela e Fernando de Aragão. No entanto, a sua infância e juventude foram passadas nos Países Baixos. O seu pai, Fernando, o Belo, era  filho de Margarida, Duquesa de Borgonha.



Este vitral  situa-se no transepto norte da Catedral. Eis a sua descrição, conforme consta no site da Catedral: "Stained-glass window by Jean Haeck (master glass-worker from Antwerp) made in 1537 from drawings by Bernard Van Orley, 16th-century painter from Brussels who introduced the first Renaissance features to our provinces. It depicts Charles V and his wife Isabelle of Portugal in adoration in front of the Holy Sacrament; they are accompanied by Charlemagne and Elisabeth of Hungary."

Dona Isabel de Portugal era filha do Rei Dom Manuel I, o Venturoso e mãe de Filipe I de Portugal (Filipe II de Espanha). A imensa beleza desta princesa portuguesa foi imortalizada por Ticiano ( link do quadro).


No mesmo vitral, o Escudo representando a União entre as duas Casas (Aviz e Habsburgo).


E, num outro vitral, os Escudos, por inteiro, de ambas as Casas.



As relações entre estas duas Casas eram estreitas e significativas. Dom João III de Portugal, irmão de Isabel, casou também na Casa de Habsburgo, em 1524, com Catarina de Áustria, irmã de Carlos V. Por outro lado, a última esposa do Rei Dom Manuel I (entre 1518 e 1521), havia sido a irmã mais velha de Carlos V e Catarina de Áustria, Leonor de Espanha. A bisavó paterna de Carlos V, mãe do Imperador Maximiliano I do Sacro Império Romano-Germânico, pertencia também à Dinastia de Aviz, a princesa Leonor de Portugal.


10 comments:

João Menéres said...

Excelente postagem, Sandra !
Muito bem documentada, tanto por imagens, como pelo texto que foste construindo.
Assim dá gosto !

E eu quetanto aprecio vitrais !

Um beijo Amigo.

Crocheteando...momentos! said...

Já não me lembrava da história...mas conheci esta catedral...aquando da minha visita aos países baixos!
É linda e foi bom recordar!!! Bj

Presépio no Canal said...

Olá, João! :-)

Muito obrigada pelo teu comentário tão simpático e generoso. Fico muito feliz que tenhas gostado!
:-)

Partilho do teu gosto por vitrais e deu-me gozo escrever este post.
As minhas preferências vão para a Sainte-Chapelle em Paris e a Catedral de Chartres, tendo já visitado ambas mais que uma vez.

Já agora, não sendo sobre vitrais, aproveito para te dar os links de outros posts que me deram gozo fazer, mas que são sobre a tua zona, o Norte de Portugal:

Alto Douro Vinhateiro
http://presepiocomvistaparaocanal.blogspot.nl/2010/09/my-place-on-earth-is.html
Casa de Sezim
http://presepiocomvistaparaocanal.blogspot.nl/2010/09/casa-de-sezim-historical-portuguese.html
Miranda do Douro
http://presepiocomvistaparaocanal.blogspot.nl/2010/09/miranda-do-douro.html

Um beijinho amigo e grato pela tua gentileza. :-)

Presépio no Canal said...

Graça! :-)

Que bom que este post lhe trouxe boas memórias! Fico contente por isso! :-)

Ainda ficou muito por explorar em Bruxelas, mas como estamos a 2h30 de lá, muito provavelmente vamos voltar. Há certos museus que queremos visitar e desta vez não se proporcionou (estavam cheios com visitas de estudo, logo com muito barulho).

E alguma sugestão de visita/passeio por lá que queira dar, agradeço. :-)

Beijinho amigo! :-)

Margarida Elias said...

Que bonito! Nunca fui a Bruxelas. Bjns!

Presépio no Canal said...

É uma cidade muito bonita. De certa forma, fez-me sentir em PT (os edifícios são clarinhos e a comida e o café valem a pena). ;-) Bjns!

ana said...

Muito bonitos os vitrais.
Beijinho. :))

Presépio no Canal said...

E eu gosto muito de vitrais...
Beijinho. :-)

Margarida Elias said...

O Columbano gostava muito de Bruges. Já lá foste? Vale a pena? bjns!

Presépio no Canal said...

Vale muito a pena. Foi a primeira cidade belga que visitei e já lá fui várias vezes e sempre com o mesmo encantamento. Também levei lá a minha mãe, sobretudo por causa das rendas.
Estamos a 3h20 de lá. Dá para ir e vir no mesmo dia, mas, para não ser tão cansativo, é melhor ficar uma noite e, nesse caso, à ida, até dá para passar por Gant e almoçar por lá.
Acho que Bruges é uma das cidades mais lindas da Europa. Columbano tinha razão em gostar da cidade.

Bjnhos! :-)