Saturday, 14 November 2015

Mens durf te leven/ Gente, atrevam-se a viver!


Estou chocada e horrorizada com o que aconteceu em Paris, ontem à noite...

E aqui tão perto...Tudo isto assusta e parece cada vez mais próximo. Confesso, sinto medo (já não podemos estar tranquilamente em lado nenhum). 

E por isso, porque é preciso teimar pelo Respeito mútuo e pela Esperança num amanhã mais pacífico... 

Almere, 8 de Novembro

Um amanhecer...Pela Paz, pela Luz, pela Vida, pelo Amor...






Versão de Wende Snijders, numa canção original de 1967, de Ramses Shaffy

(tradução minha)


Je leeft maar heel kort, maar een enkele keer/ Vives por pouco tempo e só uma vez
En als je straks anders wilt, kun je niet meer / E quando quiseres novamente, já não podes
Mens durf te leven / Gente, atrevam-se a Viver! 



Vraag niet elke dag van je korte bestaan: / Não te perguntes todos os dias
Hoe hebben m'n pa en m'n grootpa gedaan? / Como teriam feito os avôs?
Hoe doet er m'n neef en hoe doet er m'n vriend? / Como teria feito o meu sobrinho e o meu amigo?
En wie weet, hoe of dat nou m'n buurman weer vindt? / E o que pensa o meu vizinho?
En - wat heeft 'Het Fatsoen' voorgeschreven? / E o que ditam os costumes?
Mens, durf te leven! Gente, atrevam-se a Viver!



En - van je leven / E da tua vida
Ze wijzen de paadjes, waarlangs je mag gaan/ Eles indicam os caminhos pelos quais podes ir
En roepen 'o foei!' als je even blijft staan / E clamam " Vergonha!" se te recusas 
Ze kiezen je toekomst en kiezen je werk / Escolhem o teu futuro e o teu trabalho
Ze zoeken een kroeg voor je uit en een kerk / Colocam-te fora do café e da igreja
En wat j'aan de armen moet geven / Ditam ao que os pobres deves dar
Mens, is dat leven? / Gente, é isso Vida?



De mensen - ze schrijven je leefregels voor / Os outros ditam as regras da tua vida
Ze geven je raad en ze roepen in koor:  / Dão-te conselhos e gritam em coro:
Zo moet je leven! / É assim que deves viver!

Met die mag je omgaan, maar die is te min / Dizem-te como deves conviver com isto e com aquilo, e isso é o mínimo
Met die moet je trouwen - al heb je geen zin / Com quem deves casar, mesmo sem vontade
En daar moet je wonen, dat eist je fatsoen / Como deves viver porque assim é que é
En je wordt genegeerd als je 't anders zou doen / Serás renegado se diferente fizeres
Alsof je iets ergs had misdreven /  Porque erraste...

Mens, is dat leven? / Gente, é isso Vida? 


Het leven is heerlijk, het leven is mooi / A Vida é maravilhosa, A Vida é bela
Maar - vlieg uit in de lucht en kruip niet in een kooi / Mas voando e não rastejando numa gaiola
Mens, durf te leven / Gente, atrevam-se a Viver! 



Je kop in de hoogte, je neus in de wind / Com a cabeça nas alturas e de nariz ao vento
En lap aan je laars hoe een ander het vindt / Ao encontro do Outro
Hou een hart vol van warmte en van liefde in je borst / Mantém um coração pleno de Amor
Maar wees op je vierkante meter een Vorst! / Sê o Príncipe da tua casa
Wat je zoekt, kan geen ander je geven / O que procuras, ninguém te pode dar
Mens, durf te leven! Gente, atrevam-se a Viver!



Versão original de Ramses Shaffy (1967)

11 comments:

Margarida Elias said...

Lindíssimo! Assim seja. Beijinhos!

GL said...

Um verdadeiro horror, e a vários níveis.
Não posso conceber esta mortandade de inocentes, este matar em nome de uma qualquer vingança, ideal, causa, seja o que for, mas Sandra, também me custa horrores ver jovens a fazerem-se explodir, a desistir da vida porque alguém entende que são "carne para canhão".
Já reparou que a faixa etária destes suicídas é muito baixa? Um ou outro um pouco mais velho, mas pouquíssimos.

Uma tristeza, tudo isto. Uma tristeza e um susto.

Bom Domingo.
Beijinho

Crocheteando...momentos! said...

Amiga...uma tristeza em todos os sentidos! Jovens que se matam por um ideal que não leva a nenhum lado! Inocentes que morrem e deixam suas famílias destroçadas e um caos que se instala na sociedade bem como o medo em nossos corações! Boa noite e Esperança em dias mais tranquilos!

Crocheteando...momentos! said...

Belas as suas escolhas!

Presépio no Canal said...

GL,

Hoje já me emocionei várias vezes. Estou tão triste. Lembrei-me da minha última visita a Paris, das forças de segurança na Gare de Lyon ( o susto que levei ao ver aquelas armas todas de repente à minha frente e achar aquilo tudo muito estranho, tão diferente da Paris que conhecia).
Estou verdadeiramente assustada. A loucura assusta-me.
Beijinho, GL

Presépio no Canal said...

Graça,

Este ano, têm sido atentados atrás de atentados. Isto é horrível. Podia ser um de nós numa daquelas esplanadas ou no comboio que partiu de Amsterdam até Paris, como da outra vez...E algo me diz que isto não vai ficar por aqui e está longe de terminar. O problema é grave...e profundo.
Beijinho, Graça

Presépio no Canal said...

Margarida,

Tudo isto me faz muita impressão. Muita, mesmo.
Beijinho!

bea said...

A estranheza entre nós e o mundo não pára de aumentar. Por ora, é o mundo que está mal para nós. Quem sabe, um dia, estaremos mal para ele.

Presépio no Canal said...

Bea,

Verdadeiro horror é o que sinto neste momento. E isto vai escalar...

Sami said...

Uma verdadeira tragedia!

Presépio no Canal said...

É verdade, Sami...:-(