Monday, 9 May 2016

Em Baarn


Na cidade de Baarn, na província de Utrecht, onde vive a minha amiga holandesa H.

Para vos mostrar dois aspectos que gosto muito neste país

Casas com telhados de colmo






E estações de caminho-de-ferro...



A Rainha Beatriz (actualmente, Princesa Beatriz) nasceu em Baarn e os filhos dela também fizeram o Liceu por lá. E quem também viveu em Baarn foi M.C. Escher. A cidade é muito verdejante e tem casas muito bonitas e imponentes. Vale a pena a visita, sobretudo se for para passear de bicicleta.

9 comments:

bea said...

Uma das coisas que encontro diferente e mais aprazível que no sul são os telhados do norte da Europa. Bem sei que a falta de luz e a queda de neve são a causa fundamental do movimento que denoto neles, mas fica-lhes tão bem. Enquanto nós, mal começam as telhas é como se a casa tenha terminado e não há enfeites nem arrebiques, eles abrem janelas e cornijas, alçam guaritas umas sobre as outras, diversificam a geometria, atravessam cataventos e estátuas. Os telhados, eles sozinhitos, são um mundo. Lembram gravuras antigas de histórias e contos. Tendo a pensar que abrigam vidas felizes. Mas deve ser tudo muito parecido ao que conheço. Por outro lado, é mais agradável pensar em gente feliz:).
Os telhados de colmo são típicos.Mas não acredito que a gente ande em cima do telhado e cheire a palha:)

João Menéres said...

Adorei o comentário da BEA !
Acho que nunca passei por Baam.

Um beijo, Sandra querida.

Margarida Elias said...

Fiquei com curiosidade. Beijinhos! :-)

Crocheteando...momentos! said...

Realmente os telhados são lindos numa arquitetura um pouco escura!
Quem sabe...um dia conheço!
Bj amigo

Presépio no Canal said...

Bea,

Na mouche, na mouche...:-)) Adorei o seu comentário!
É impossível não andar quase sempre de cabeça levantada.
Foi assim que, na primeira vez que fui ao Red Light District, não reparei nas janelas das meninas. Estava maravilhada com os telhados (os prédios são muito antigos, medievais) e o meu olhar estava sempre para cima, não para os lados. :-))

Presépio no Canal said...

João,

O comentário da Bea não podia ser mais certeiro.
Até na arquitectura recente...
No centro de Almere, por ex, as casas desenhadas pelo Christian de Portzamparc têm jardins no topo, com efeitos ondulantes e caminhos de interligação, além de gozarem de uma vista muito boa para o Lago Weerwater. Um destes fins-de-semana, cheirava-me a churrasco, em pleno centro da cidade. Eram os moradores da Citadel (o nome do complexo) a fazer churrascos nos jardins de topo...

Beijinho, querido João!

Presépio no Canal said...

Margarida,

Gostava de ter fotografado mais, mas como fui de visita à minha amiga H., tirei poucas. Numa próxima, que vá só com o meu marido, a ver se tiro mais fotografias...:-)
Beijinhos!!

Presépio no Canal said...

Graça,

E é fácil lá chegar. Têm comboio. A zona é óptima para passear. Verdejante e com mansões muito bonitas.
Bj amigo!

bea said...

Hummm...mas eu vi-as na montra numa das entradas de comboio em Bruxelas. E, como sempre, julguei que eram modelos vivos e achei a ideia uma maravilha. Eram modelos vivos. Mas um indivíduo que olhava a montra escolheu e uma menina saiu e foi abrir-lhe a porta ao lado. E eu talvez continuasse sem entender se não fosse a companhia a esclarecer-me. Eram mulheres tão bonitas como as de qualquer revista. Mas aquela compra inda me dói. Tirou-me a boa disposição por muito tempo. Não sei como é isto possível numa Europa que se diz civilizada e culta. Não entendo.