Wednesday, 26 November 2014

Cabo Verde: no Melia Dunas


Tudo começou com uma conversa com a minha prima E., em Setembro último, em casa da minha mãe. A E. contava-me das viagens dela a Marrocos, Palma de Maiorca e Cabo Verde (já há dois anos que não nos víamos) e foi aí que pensei que uma ida à Ilha do Sal talvez fosse um bom destino para este ano. A simpatia das pessoas, as praias de areia branca, a língua - tudo me atraía...



Quando regressei aos Países Baixos, fiz uma pesquisa muito breve e verifiquei que os preços dos "all inclusive" eram simpáticos e atractivos como a minha prima dizia. Depois, vi as fotos do Melia Dunas que achei muito bonitas. O mais engraçado foi não ter reparado que o hotel era muito recente - tinha sido inaugurado no dia 25 de Outubro. Quem me contou foi a manicure do salão de estética do Hotel. Fiquei também a saber que era a primeira cliente portuguesa que entrava naquele espaço de beleza...



A estadia no Melia Dunas revelou-se, inesperadamente, muito familiar. Parecia que tínhamos ido visitar velhos amigos. Todos nos acolheram com imensa e extraordinária alegria quando se aperceberam que éramos portugueses. "Somos povos-irmãos.", diziam. A conversa seguia, então, para o futebol (fiquei a saber que o Nani é cabo-verdiano), para as famílias que tinham em Portugal, para os locais do nosso país que já tinham visitado ou onde já tinham vivido. O sorriso franco, as piadas, o riso constante que se criava nos spots onde nos encontrávamos, os acenos de longe, tudo isto criou uma energia muito positiva, porque acolhedora e generosa, que nos envolveu durante toda a semana. Senti-me em casa.




Quanto ao hotel propriamente dito, gostei muito, mas houve alguns aspectos que nem tanto.

Os apartamentos são bons: espaçosos, limpos, com um design clean e bonito. Gostei especialmente dos produtos de higiene (suaves e com um cheirinho muito agradável) e do facto dos ares condicionados não incidirem directamente nos nossos corpos, bem como, da confortabilidade dos colchões e das almofadas. O único cuidado a ter é com a água da torneira por causa da doença do legionário. Mas o próprio hotel fornece as garrafinhas de água para beber e lavar os dentes. Também não é necessário levar toalhas de praia, pois eles facultam-nas.

Achei o hotel, de uma forma geral, muito cómodo e organizado. À chegada, por exemplo, e enquanto aguardávamos na fila para o check-in, ofereceram-nos uma bebida refrescante. Entretanto, as malas foram recolhidas e distribuídas pelos apartamentos, ou seja, não tivémos de transportá-las pessoalmente, e quanto a nós, após o check-in, já estavam, em frente à recepção, carros de vários lugares à espera. Estes carros estão sempre a circular no resort, o que é óptimo, pois o espaço é enorme.



No entanto, houve alguns aspectos que me desagradaram:

Na nossa opinião, a comida do buffet, exceptuando a fruta e os queijos, não era nada de especial e, por isso, só lá almoçámos uma vez. Gostámos mais do pequeno restaurante/bar de apoio, junto ao apartamento, que estava igualmente abrangido pelo "all inclusive" e cujos pratos eram mais saborosos, embora muito simples.
Outro aspecto que também me desagradou no Melia foi o período em que não havia comida disponível no resort, por exemplo, entre as 10:30 e as 11:30. O buffet fechava às 10:30, os bares de apoio só serviam bebidas e o restaurante ao pé do apartamento só abria mais tarde. O melhor era trazer, connosco, alguma peça de fruta do buffet do pequeno-almoço.

Ao jantar, optámos, por 3 vezes, pelo Atlantis (este pago à parte), onde se come, sobretudo, peixe e marisco. Muito bom! Recomenda-se!



Já no Sahel, este já incluído no "pacote", jantámos por duas vezes. A especialmente deles é cozinha africana e claro, a cachupa. Estava boa, mas esperava algo mais tradicional. E achei estranho que em vez de música tradicional cabo-verdiana, estivessem a passar Bossa Nova.

No que toca às bebidas, também fiquei um bocado decepcionada com o "all inclusive" do Melia: quer com os martinis, quer com os cocktails. Os sumos achei muito acuçarados. Já os copos de Cava sim, esses valeram a pena.

Quanto às lojas, gostei sobretudo da Analita, onde se pode comprar roupa e acessórios de praia bonitos e a preços moderados. O salão de estética também é muito agradável. A loja de produtos típicos pareceu-me muito cara - mais vale comprar em Santa Maria.

No mais, gostei dos espectáculos de animação, no anfiteatro, sobretudo os de danças cabo-verdianas. Os bailarinos são muito bons, sobretudo o Cristiano - vê-se que nasceu para o que faz.



O espaço do Melia é lindo! Vale a pena ver o video abaixo. A rede wi-fi é que podia funcionar melhor. Durante os dois últimos dias, mal consegui aceder à Internet. Tanto assim, que só no dia 22, soube que o J. S. tinha sido preso e mesmo assim, pela televisão...




11 comments:

Crocheteando...momentos! said...

Ainda bem que gostou do espaço pois é bem interessante!
Bj amigo

João Menéres said...

Espero pelas imagens que fizeste da Ilha do Sal, Sandra !
Pode ser que em 2015 possamos voltar à Holanda !...

Um beijo e parabéns por mais esta crónica de viagem !

GL said...

No cômputo geral fica a sensação. que o balanço foi positivo:)
Viagem e locais muito bonitos; hotel a necessitar de colmatar falhas desculpáveis dado ter aberto há pouco tempo.
Beijinho, Sandra, e obrigada por mais esta viagem tão agradável.:))

Presépio no Canal said...

Graça, concordo. E gostava de voltar para experimentar o SPA. Bj amigo.

Presépio no Canal said...

João,

Fiquei tão contente por saber que vens cá!! Teria muito gosto em conhecer-te pessoalmente.

Posso dar-te uma sugestão? Que tal no princípio de Maio para assitires ao Concerto pela Liberdade no Rio Amstel, em Amsterdão? É gratuito, os reis vão estar presentes, há barcos engalanados com flores e o espectáculo costuma ser bonito - um pouco de ballet, jazz, música clássica. Clica neste link para teres uma ideia (a Rainha Beatriz a sair de barco ao som do We'll meet again, em 2010).(https://www.youtube.com/watch?v=_Nm5-auy5jM)

No dia 4, às 8h da noite, também podes assistir na Dam a um momento muito emotivo: tempo de silêncio pelos mortos nas guerras mundiais. Os reis vão lá estar também.
(https://www.youtube.com/watch?v=xrLgVGt9MGI)

Beijinho grande! Que bom que estás a pensar em vir até cá!!

Presépio no Canal said...

GL, Muito positivo e recomendo. Como diz e bem, há pequenos detalhes que precisam de ser afinados porque o hotel abriu há muito pouco tempo, mas vale bem a pena. Gostaria de lá voltar. Senti que descansei muito bem.
Bj amigo!

Margarida Elias said...

Então a ideia veio em Setembro - foi rápida a decisão! apanhaste sol, que bom. Por aqui tem sido chuva todos os dias... Onde anda o Noé e a arca? Beijinhos!

Presépio no Canal said...

:-)) É mesmo. Costumo ser muito rápida a tomar decisões. Por isso, é que chegámos aqui num espaço de 1 mês. :-)) É verdade.
Quando a minha prima me falou nos valores, comecei a pensar no assunto. Cheguei cá, pesquisei, ainda gostei mais (Novembro sai mais em conta que Julho ou Agosto), depois caíu aqui um extra, ele cansado, eu já com dores nos ossos, ninguém tinha feito férias de praia este ano...Tudo se conjugava: vamos embora!! :-))
Beijinhos!

Sami said...

O hotel tem muito bom aspecto, assim como os interiores dos apartamentos (como se ve no video) e a zona da piscina e linda. O facto de haver pequenas falhas deve dever-se ao facto de ainda ser um hotel recente...

Presépio no Canal said...

Sim, também me pareceu. O espaço é muito agradável e até gostaria de ter ficado mais tempo. Numa próxima, quem sabe...Gostava de conhecer as outras ilhas- parece que são mais típicas e verdejantes.

João Menéres said...

SANDRA

Princípio de Maio não dá jeito.
Um dos filhos faz anos a 3 e a minha mulher dois dias depois.
Temos que estar cá !
Além disso, parece-me que apanharíamos frio, como me foi dado ver no vídeo...

Mas obrigado pela sugestão.
Também espero conhecer-te pessoalmente, é claro.

Um beijo amigo.