Friday, 22 August 2008

Leaving our country and family behind

Para aqueles ou aquelas que nunca pensaram em sair de Portugal, e muito menos, aos 37 anos de idade, e deixaram nas Terras Lusas, a mãe, o pai, ou ambos.

No meu caso, deixei a minha mãe, viúva, de 69 anos e com problemas de coluna.

Estes foram os cuidados que tive antes de partir, e que por acaso não foram motivados pela minha saída do país (mal sabia eu...), mas sim pelo bem-estar da minha mãe e se revelaram ainda mais pertinentes na actual situação.

Gestão Administrativa:

Contactei pessoalmente a Caixa Geral de Aposentações para solicitar a Reforma Unificada para a minha mãe, ou seja, a junção da reforma da CGA (a minha mãe foi funcionária pública) e a da Segurança Social ( a minha mãe tinha sido costureira);
Ainda fomos lá 4 vezes, e só na última, se viu mais empenho no andamento da situação. Mesmo assim, ainda esperou um ano para receber as reformas de forma conjunta e os retroactivos da Segurança Social que se foram acumulando.

Fomos também à Allianz fazer um seguro do recheio da casa. Já tinha havido uma pequena inundação e um pequeno incêndio. Pareceu-nos que era melhor precaver...

Compilei num dossier toda a documentação considerada importante (a minha mãe nunca gostou de papéis; era sempre o meu pai que tratava de tudo).

Fiz uma listagem de todos os contactos úteis (desde amigos a serviços), bem como de todos os números de identificação.

Escrevi ao senhorio a solicitar uma intervenção urgente no prédio. Era preciso arranjar e pintar a frontaria, pois havia bocados a cair e eu receava quando a minha mãe estava a estender roupa (por causa do tecto da varanda). A obra e a pintura já foram realizadas.

Saúde:

Incentivei a minha mãe a comprar um novo aparelho auditivo, uma nova prótese dentária e umas novas lentes.

Incentivei-a a ir ao Dermatologista ratrear os sinais e ainda bem. Foi preciso remover um.

Levei-a a um Médico de Medicina Tradicional Chinesa. A Fisioterapia Clássica não estava a resultar.

Casa:

Contactei com a IdeiaCasa para se comprar um colchão em látex, pois a minha mãe sofre muito da coluna.

Encomendei também na La Redoute uma almofada em látex por causa das dores na cervical e um endredom de penas de ganso, mais leve e confortável para as costas em vez dos tradicionais cobertores.

Ofereci-lhe um tapete anti-derrapante do IKEA para o quarto de banho de modo a evitar quedas.

Comprei um balde com rodas e uma mopa para facilitar as limpezas e uma base com rodas para transportar a bilha do gáz e assim evitar carregar pesos.

Nos últimos quatro anos, renovámos todos os seus electrodomésticos.

Mudámos também todas as lâmpadas. As actuais, do IKEA, são economizadoras.

Fizémos uma grande “limpeza” à casa, dando muitas coisas e organizando-a de outra forma. Optou-se, por exemplo, por dar os móveis mais altos e mais difíceis de limpar. Neste momento, os móveis são mais baixos e lisos.

Prevenir acidentes domésticos e manter a possibilidade de ser a minha mãe a cuidar da própria casa, sem prejuízo da sua saúde e da sua segurança, foram os nossos principais objectivos. Estimá-la, como diria o meu avô :-)

Bom para a minha Mãe e bom para nós que ficamos mais descansados.

Socialização:

Incentivei a minha mãe a inscrever-se na Colónia Balnear da Junta de Freguesia.
Inicialmente, reticente, este ano, foi a 1ª a inscrever-se e já levou amigas.

Lazer:

Ofereci DVD's de filmes que sabia iria gostar: SISSI, Lassie, etc para a distrair no Inverno.

E quando já nao estamos em Portugal, acho importante:

Contactar através da Internet, por exemplo, do Voip Buster, para falar um bocadinho diariamente;

Enviar fotografias ou postais dos locais que visitamos para que se sintam a acompanhar a nossa vida e, se quiserem, comporem os álbuns respectivos;

Enviar postais, mesmo que se telefone, nas datas de aniversário, Dia da Mãe, Dia do Pai, Páscoa e Natal, se não pudermos passar com eles;

Levar umas lembranças nas férias de Verão;

Telefonar aos vizinhos ou aos familiares mais próximos a agradecer alguma atenção que tenham tido numa situação mais delicada.

À minha querida mãe, de quem brevemente vou matar saudades. :-)

1 comment:

Vermelho morango said...

Tu és demais!! Fantástico.