Friday, 16 September 2016

O Inquérito sobre Reciclagem


Primeiro, foi o sino que tocou. Depois, ele optou pela campainha. Foi esta semana. Era um rapaz, perfeitamente identificado, que disse estar a fazer um inquérito sobre os nossos hábitos de reciclagem. Segundo entendi, a autarquia queria recolher informação e aproveitar para esclarecer alguns pontos.

Quantos contentores tinha eu, perguntou-me. Disse-lhe que 3.
"Dois azuis e um verde?".  "Sim.", respondi,  "Sendo o verde para o lixo orgânico e os azuis para o papel e o plástico.".
"E o verde tem separador?" Confirmei novamente que sim, bem como que colocava o lixo orgânico na parte da frente e o restante na parte detrás.
"A senhora sabe que pode colocar latas e embalagens no recipiente para o plástico?"  Disse-lhe que o meu marido já me tinha informado.
"E na cozinha, faz a separação?" Ao que respondi que sim, que tinha 3 recipientes distintos.
"E usa os sacos próprios para o efeito?" Novamente disse que sim, que utilizava o saco verde para o lixo orgânico e os sacos brancos para o restante.
"E a reciclagem de objectos de maior porte?" Disse-lhe que ia com frequência aos centros de reciclagem.

Até aqui, as perguntas foram aquelas que eu estava à espera. O que me surpreendeu foram as seguintes:

"A senhora tem algum reparo a fazer quanto à reciclagem ou outros aspectos que considere importantes?"


Foi a primeira vez, na minha vida, que fui questionada pela minha edilidade se estava satisfeita com a minha zona envolvente e se tinha queixas a apresentar (ele mencionou a questão da limpeza). Em Portugal, nunca me tinha acontecido...e aqui, até à data, também não, mas há outras formas ao nosso dispor para apresentar ideias que beneficiem o bairro ( há até um orçamento específico ao qual nos podemos candidatar, por ex.).

" Quem? Eu?", respondi, ainda um bocado perplexa. "De todo. ", respondi. "Olhe à sua volta. Está tudo impecável: estradas, passeios, canteiros. Há pouco tempo, vieram limpar os esgotos e iluminação também está ok. Estou muito satisfeita com a Câmara Municipal (Stadhuis)."

" Alguma sugestão que queira dar? Alguma melhoria que ache necessária?"


Eu, muito agradavelmente surpreendida a olhar para o rapaz, que, naquele momento, representava a edilidade, disse-lhe que não. Que estava tudo bem e nada tinha a sugerir.

( lembrei-me que o problema da lomba que estava demasiado alta já tinha sido resolvido, e sem ser isso, não me ocorreu mais nada).

No final, disse-me:

" Nós vamos estar por aqui a falar com os seus vizinhos. Se, entretanto, se se lembrar de alguma coisa, diga: alguma reclamação ou sugestão de melhoria."

Sim, senhor, pensei eu com os meus botões... 
E este é dos dos aspectos que me faz gostar muito de viver nos Países Baixos: o facto de sermos estimulados a intervir no bem-estar da sociedade onde estamos inseridos, seja com sugestões, projectos, doações, voluntariado...

Mentalmente, recapitulei alguns aspectos, a tentar descobrir algo que pudesse dizer/sugerir...:

o isolamento sonoro das janelas já foi medido, verificado e avaliado, sendo que está tudo de acordo com a lei e não vou precisar de mudar as janelas e os vidros ( cujos custos seriam da responsabilidade do município, uma vez que se trata de uma questão de saúde pública, dado que a autoestrada se situa aqui próximo);

fibra óptica em casa também já temos, que a autarquia mandou colocar por conta do orçamento local em todas as casas do município que quiseram ter mais esse benefício;

o corredor dos quintais tem sido limpo;

a paragem dos autocarros já foi alargada, o horário tem sido cumprido e os autocarros são muito confortáveis de uma forma geral e adequados a pessoas com mobilidade reduzida;

as passadeiras estão visíveis e os semáforos funcionam bem;

os parques infantis estão cuidados e foram recentemente alvo de novos apetrechos;

(o meu marido disse-me, depois, que há poucas semanas fizeram um abaixo-assinado para apresentar à Câmara, a solicitar uma protecção num dos passeios, que impeça as crianças de correr para a estrada e que ele a subscreveu).

os contentores de reciclagem do vidro e da roupa também estão em boas condições, bem como os marcos do correio;

a polícia e a "buurtpreventie" ( o grupo de vizinhos que faz a ronda do bairro) têm feito a vigilância;

a ambulância dos animais (que faz a recolha de animais feridos e/ou mortos nas estradas) e a carrinha do centro de saúde que faz a entrega dos medicamentos junto daqueles que não se podem deslocar também têm passado...

o site do bairro, onde os vizinhos pedem ajuda uns aos outros, também tem estado activo...

Não me lembrei de mais nada e acabei por não chamar o rapaz que continuava a entrevistar a vizinhança... Ainda não tive oportunidade de falar com os meus vizinhos, mas estou curiosa por saber se apresentaram alguma ideia. Os holandeses têm sempre algo a dizer ou sugestão a dar....Daquilo que me é dado a observar, são muito participativos na sociedade, seja nas organizações/actividades de bairro, seja no voluntariado ou na adesão às iniciativas locais levadas a cabo pelos municípios ou outras entidades (comerciais, por ex.).


Almere Haven, a zona mais antiga da cidade (que tem 41 anos). 
De vez em quando, gosto de lá ir, especialmente aos gelados Mariola.
Fotografias tiradas ontem, no final da tarde.


Love you, Almere!



Votos de bom fim-de-semana para todos!



20 comments:

bea said...

Na verdade com gente assim o ambiente é forçosamente agradável. Noto que há factores de incumbência camarária que em Portugal recaem sobre o morador e que existe fiscalização de tudo, o que obriga quer a autarquia quer os que nela habitam a cumprir. E o que começa por ser um dever pode até acabar a ser um gosto.
BFS

APS said...

Por cá, ainda vamos nos contentores colectivos (3/4), não sei se por menos lixo produzido...
Mas em Lisboa é pior: contentor único, para o que quer que seja - desvantagens de não ter havido grandes guerras, nos últimos quase 200 anos, e as ruas serem muito estreitas (Bairro Alto, por exemplo) para colocar vários recipientes para o lixo.
Bom fim-de-semana, também!

Paula Lima said...

Bela cidade, não haja dúvida! Há tanto a mudar por cá!

Presépio no Canal said...


Bea,

No ano passado, cheguei a receber cartão vermelho por parte da Câmara por não ter separador no caixote do lixo orgânico. E enquanto não fui lá resolver o assunto, não "saí do vermelho".

Presépio no Canal said...

APS,

Creio que a questão dos contentores colectivos terá a ver com a periodicidade da recolha. Aí são recolhidos diariamente (pelo menos, eram).
Os nossos contentores individuais são recolhidos de 15 em 15 dias, sendo que o do lixo orgânico alterna com o do plástico.
O contentor do papel idem, mas a meio da semana.

Boa noite! :-)

Presépio no Canal said...


Paula,

Almere é uma cidade muito verde e orientada para as famílias. É muito calma, embora com muitas actividades culturais e desportivas sempre a decorrer, sobretudo este mês. No próximo fim-de-semana (24/09), por exemplo, vai decorrer o festival de carros antigos e o mercado de produtos regionais. :-)

João Menéres said...

No Porto há zonas bem limpas.
Todavia, outras há que o mesmo não se pode dizer.
A limpeza urbana também funciona muito bem.
Quanto a contentores por moradores, creio que nunca ouvi falar.

Um beijo e VIVA a Holanda, Sandra !

Paula Lima said...

Esse festival de carros antigos deve ser um mimo. O mais perto que estive dessas preciosidades foi um dia, na Place de La Concorde em que estava uma dúzia deles lá estacionados, se calhar para uma daquelas corridas lentas. E embora adore produtos regionais, evito feiras e afins, o rapaz cá de casa não pode consumir uma grande maioria e acho que só o belo cheiro dos chouriços, presuntos e queijos lhe faria mal ;-)

Presépio no Canal said...


João,

Em Almere, não há muitos prédios. Os poucos que existem têm contentores colectivos na arrecadação do r/c, própria para o efeito. No mais, como a grande maioria das habitações é de r/c e primeiro andar, cada uma tem os seus três contentores no quintal por trás da casa. E somos nós que os colocamos na rua, na noite anterior ao dia da recolha dos lixos, indo por um corredor para o qual todos os quintais têm uma porta de acesso. No Inverno, não gosto nada de fazer este trabalho, especialmente com temperaturas negativas. Mas não convém esquecer, pois a recolha só efectuada de 15 em 15 dias. Também por causa disto, convém limpar a neve do quintal (pelo menos, abrir um carreiro) para que os contentores possam passar mais facilmente. Este é outro trabalho que não gosto muito de fazer, que fico com os braços bem doridos (a pá é pesada).

Bj amigo! :-)

Presépio no Canal said...

Paula,

Este festival já tem 16 aninhos.
Aqui vai um video, mas há mais no Youtube.

https://www.youtube.com/watch?v=aOBAWe4ugDo

O festival realiza-se no centro da cidade (zona pedonal e de arquitectura de autor, onde há maior número de prédios).

Compreendo o dilema do rapaz aí de casa. Aqui a "je" também tem essas restrições alimentares...Mas gosto de ver as embalagens mais tradicionais. Dão vontade de decorar a cozinha com elas... :-)

Margarida Elias said...

Que maravilha! Vê-se que é a civilização no seu melhor. As fotografias são lindas. Beijinhos!

Presépio no Canal said...

Margarida,

Obrigada! :-) A esta hora, geralmente, as fotografias saem melhor. E eu gosto muito de me sentar aqui a ver o lago e os barcos a sair ou a chegar. É muito relaxante.
Um dos barcos não sai, no entanto, pois é um restaurante, onde servem panquecas. É muito giro. A ver se ponho umas fotografias.
Beijinhos! :-)

MR said...

Eu no prédio tenho três contentores: azul para papel, cartão, etc.; amarelo para plástico, latas e pacotes de leite; cinzento para o restante lixo. O vidro coloco no vidrão que está na rua, quando vou a caminho do Metro. Desse ponto de vista não está mal. Há é muita gente que se está nas tintas e mistura o lixo. Vejo-o quando levanto as tampas dos vários contentores e vejo lá lixo que devia estar noutro. Mesmo assim, dizem as estatísticas que temos melhorado muito. E espantosamente não é nos bairros mais chiques e onde as pessoas têm mais estudos. A Expo é dos piores, onde as pessoas menos fazem a triagem do lixo, segundo me disse um amigo meu que lá vive e que ficou estarrecido quando soube.
Quando tenho algo a dizer escrevo um email para a CML ou para a Junta de Freguesia, umas vezes com sucesso, outras não.
Bom fim de semana!

MR said...

Esqueci-me dos objetos de maior porte. Telefona-se para um n.º da CML e combina-se o dia em que vêm buscar. Nesse dia coloca-se o material na porta.
Mas há montes de gente a deixar esse lixo na rua.

Presépio no Canal said...


MR,

A Expo pareceu-me, da última vez que passei por lá, um bocado desleixada, comparativamente ao que era no início.
O problema é mesmo o civismo. Aqui noto que os adolescentes são mais descuidados. Ontem, ao descer do autocarro, reparei numa série de latas pelo chão. E já não foi a primeira vez. Acho até que é cada vez mais frequente... É certo que as equipas de limpeza vêm limpar depois, mas creio que não seria mal pensado colocar caixotes do lixo maiores. A ver se escrevo à Câmara também (e envio fotografias). Quando o rapaz veio cá fazer o inquérito, não me lembrei.
Bom fim-de-semana! :-)

Sami said...

Que bom que se poder participar nesse genero de inquerito para melhorar a vida das pessoas ao fim ao cabo.
Aqui em Perth so temos 2 caixotes - um de tampa verde para o lixo normal que e recolhido 1 vez por semana, e um de tampa amarela para toda a reciclagem - papel, vidro, latas que e recolhido de duas em duas semanas.
Estao a pensar introduzir mais um caixote para se por lixo organico que sera depois usado para adubo.
Aqui em casa uso esse lixo para enterrar no jardim e melhorar a solo.
Bom fim de semana Sandra.

Presépio no Canal said...

Sami,

Um dos nossos vizinhos faz algo semelhante - coloca o lixo orgânico num caixote específico e depois, passado algum tempo, no solo.
Bom fim-de-semana! :-)

Paula Lima said...

Adorei ver os carros. O rapaz cá de casa ficou maravilhado com um Mustang vermelho que ali apareceu (eu não percebo nada de carros)!
Bom resto de domingo!

Presépio no Canal said...

Paula,

:-) É um carro bem giro, sim senhora.
Vamos ver se consigo tirar uma meia-dúzia de fotografias com jeito, no próximo domingo. Vai sempre tanta gente..., mas vou tentar.
;-)
Bom resto de domingo!

João Menéres said...

Aqui utilizam-se uns sacos ecológicos para o lixo caseiro que é recolhido diariamente por uma empresa contratada pela Câmara Municipal.