Monday, 4 April 2016

No Fries Museum


Segundo dia de Páscoa (segunda-feira, 28/03/2016) 
Visita ao Museu da Frísia (província situada a Norte dos Países Baixos) em Leeuwarden
(capital da província)

Bem-vindos ao Museu da Frísia! Welkom naar Het Fries Museum!

Na sala dedicada à Frísia (pintura, trajes regionais,...)

Traje regional feminino



Um recanto ( gostei muito do relógio)



Nas salas dedicadas à Resistência durante a Segunda Guerra Mundial

Cartões de identificação


Não pude observá-los como deve ser, pois já estava no final da visita. Não cheguei a ver se pertenciam a judeus, ou a membros da Resistência ou se eram identificações falsas; digo isto, porque, momentos antes, vimos alguns instrumentos de trabalho dos falsificadores de documentos.


Cartões de Racionamento


Um rádio escondido num livro


Cilindros lançados pelos aviões com aprovisionamentos para as populações



À saída, nas escadas, candeeiros com peças de tricot feitas pelas crianças das escolas básicas locais



Temos de voltar a este museu, pois não vimos todas as salas (faltou-nos a sala dedicada ao tricot) e quero voltar com mais tempo à parte dedicada à Resistência - fiquei muito tempo a ver filmes de época sobre o período ( bombardeamento de Roterdão, saída da Rainha Wilhemina do pais, etc) e já não pude apreciar as peças como queria. 

Uma outra sala muito interessante é dedicada ao mobiliário típico de Hindeloopen, uma cidade da Frísia que aconselho muito a visita, e onde já levámos amigos nossos de Portugal que estiveram cá a passar uns dias. Esta sala lembrou-me o Museu de Hindeloopen (que gostei imenso e recomendo!), com as divisões da casa decoradas com o mobiliário típico desta cidade medieval que também fez parte da Liga Hanseática.

Neste momento, no Museu da Frísia, está patente também uma exposição sobre o ouro encontrado na província pertencente ao período medieval, desde moedas a peças de joalharia: Gold - Found Treasures from the Middle Ages.  Esta mostra vale muito a pena, pois tem peças de grande valor histórico e que nos transportam a uma Frísia Medieval rica e poderosa. De salientar igualmente, a reconstrução do rosto de uma mulher do século VII, cujo esqueleto foi encontrado num tronco de um carvalho oco (tree trunk lady) no monte mais alto da Frísia, e os quais ( rosto reconstruído e esqueleto na árvore) podem ser vistos na exposição.

Sobre a parte dedicada à Mata Hari, falaremos no próximo post.

Aos que moram cá: a entrada no museu é gratuita desde que sejam portadores do museumkaart.
O museu fecha às 17:00 e a viagem a partir de Almere demora uma hora e meia. 

14 comments:

MR said...

Estes museus regionais nórdicos costumam ser muito bons. Pelo menos os que vi na Suécia e Noruega.
E também há bons museus dedicados à II Guerra e à Resistência nesses países. Acho que foi na Dinamarca que vi um, pequeno, muito bom. E muito didáticos.
Gostei do que aqui vi. E esperamos o resto numa próxima visita.
Boa semana!

Presépio no Canal said...

MR,

Que bom que gostou! Mas tenho de voltar. Este museu requer mais tempo e que chegue antes da hora do almoço...
Alguma sugestão de visita para esses países? Ainda não fui aos países nórdicos.
Algum museu específico que queira aconselhar, já sabe...;-) fico-lhe grata.
Boa semana!

Margarida Elias said...

Gostei muito desta visita virtual e também da anterior. Beijinhos e bons passeios! :-)

Presépio no Canal said...

Margarida,

Que bom que gostaste! :-)
Há mais museus que queremos visitar ( e há um que está na minha mira especialmente para ti). Haja bom tempo, agora, para dar lá um pulinho.
Beijinhos! :-)

João Menéres said...

Mereces que o governo holandês te atribua uma MEDALHA pela espantosa contribuição para o melhor conhecimento desse lindo país.
Boas fotografias e crónicas maravilhosas !

Um beijo, Sandra.

Sami said...

Tambem gosto imenso de ver museus com exposicoes relacionadas com as guerras.
O relogio e lindo!

Presépio no Canal said...

João,

MUITO OBRIGADA pela simpatia e generosidade. :-)) És muito querido!!
Sou só uma estrangeira a tentar conhecer melhor o país onde vive e que gosta de partilhar estas descobertas com aqueles que têm a generosidade de a acompanhar. E que companhias boas tenho por aqui! :-)

Um grande beijinho, querido João! Gosto muito de ti.

Presépio no Canal said...


Sami,

Para a próxima, a ver se consigo fotografar o relógio mais de perto. Também achei piada vê-lo entre os livros. :-)

xoxo

bea said...

Bom, eu não sei, mas, caso precise ou queira, pode enveredar pela profissão de guia turístico na Holanda:), este blogue prova-o de forma sintética e analítica. Não precisa outras provas; e está dispensada de prestações orais:))
muito obrigada pelas informações acerca da Frísia que, desde que a estudei, não sei quando nem onde, me lembra frigoríficos. Mas o museu parece interessante, sim.

Presépio no Canal said...

Bea,

Muito Obrigada por tão generoso comentário!! :-) Muito querida!
Guia- turística é um trabalho muito interessante. Não me importava nada de fazer o curso para obter a certificação e poder, quem sabe, trabalhar nessa área, um dia. Mas primeiro tenho de juntar dinheiro para o efeito (as propinas são carotas, segundo me constou).
Gostei especialmente da parte de ficar dispensada das provas orais. ;-)
O neerlandês é uma língua difícil e já reprovei à justa, por duas vezes, na oral do exame como segunda língua, devido ao nervosismo (parece que fico bloqueada). O exame consiste em várias situações com tempos limite de resposta, sempre a andar, ou seja, umas atrás das outras, em piloto automático.
Peço desculpa por só agora publicar o comentário; dia longo, hoje (mas bom!).
Boa semana!

bea said...

Hummm...quando uma bloguer nos oferece assim de mão beijada lugares de que recolhe as melhores impressões e pormenores, está dispensada de mais:).

Então, há que estudar melhor os meandros da língua. Sem dúvida que tem razão, o domínio oral, para mim pelo menos, foi sempre mais complexo que o escrito. Mesmo no caso da língua mãe. O holandês parece-me uma língua sem ponta por onde pegar, mas será por não saber nada de nada:)).

Que bom ter tido assim um dia que vale a pena, a iluminar todos os outros. Os dias bons são um sol que deixa sombra benfazeja e onde descansamos se é preciso; uma espécie de otomana para a alma:)
Um dia bom para si

Presépio no Canal said...

Bea,

Obrigada. :-)
Tem razão. O dia de ontem foi muito luminoso e compensou, de certa forma, o dia anterior, em que soube que uma grande amiga está de saída para viver no Reino Unido. Estou feliz por ela, mas vou sentir-lhe muito a falta.
Um bom dia também para si. :-)

Crocheteando...momentos! said...

Gosto muito de museus e este me pareceu bem interessante!
Bj amigo

Presépio no Canal said...


Graça,

Que bom que gostou! A ver se este ano visito mais museus. Há vários tão bonitos...
Bj amigo